Segunda-feira, 10 de Setembro de 2007
Cometas...

    

     

"When beggars die there are no comets seen;
The heavens themselves blaze forth the death of princes."

      

     Diz-se que uma vida humana não tem preço. Não tenho a certeza se será realmente assim, mas não tenho dúvida que há umas que valem mais que as outras.

     Não há igualdade na vida, desde que damos o primeiro berro nos braços do parteiro até a que o nosso último suspiro se dissolva no ar. Levamos toda a vida a tentar deixar uma marca antes de partirmos, mas na maior parte das vezes as pegadas na areia desaparecem mal a maré sobe e todo esse esforço foi em vão. Se bem que se tirarmos esse esforço da vida nada nela valha a pena.

     Lutamos por viver, lutámos por o que temos agora e lutamos pelo que há-de vir sem ter a certeza que realmente a morte nos concederá esse tempo. Somos tantos que a hipótese de fazermos a diferença é mínima e mesmo que a façamos ninguém notará. A cada instante morre uma pessoa, mas o mundo não pára, o mundo nem nota. Mesmo não sendo "pedintes" (se é que mendigar por um pouco de vida não nos tornará nuns), os meros mortais não tem direito a "cometas" nem quando nascem, nem quando vivem, nem quando morrem.

     Os céus podem resplandecer para alguns, mas não há aurora boreal que sempre dure... todos estamos condenados primeiro à morte e depois ao esquecimento, se bem que uns, por motivos bons ou maus, sejam lembrados por mais tempo pelos vivos.

     Há-de haver um dia que um dia que o próprio Júlio César, o "princípe" frase, e até o grande Shakespear, que a ele dedicou a peça da citação, serão esquecidos... se bem que seja mais provável que aquele em que todos se esquecerão de mim tarde menos.

 

    Enquanto espero por esse dia olho o céu, à procura nem eu sei bem de quê. Talvez espere um cometa...

                                   By Sophia

  

 

(esta é uma imagem do cometa McNaught, descoberto no ano passado, foi tirada na Nova Zelândia e está no site inglês da National Geographic)

  

"High up in the sky the little stars climb
Always reminding me that were apart (...)
Leaving me a song that will not die"


música: Stardust - Frank Sinatra

publicado por **** às 23:09
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre nós
.Tempus Fugit...
Fugit irreparabile tempus! Sophia
.Julho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.There's always something left to be said...
Sophia
.posts recentes

. Is it Still "The Beginnin...

. O tango Inacabado - IV

. O tango Inacabado - III

. O tango Inacabado - II

. O tango Inacabado - I

. in 6 words...

. Antiquitera (XIV) - Epílo...

. Antiquitera (XIII)

. Antiquitera (XII)

. Antiquitera (XI)

. Antiquitera (X)

. Antiquitera (IX)

. Antiquitera (VIII)

. Antiquitera (VII)

. Antiquitera (VI)

. Antiquitera (V)

. Antiquitera (IV)

. Antiquitera (III)

. Antiquitera (II)

. Livro Ilegível

.arquivos

. Julho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

.count
atlanta listings
.pesquisar
 
.Faz-nos Pensar...
Citação: "Love all, trust a few." Autor: William Shakespeare Citação: Judge your success by what you had to give up in order to get it. Autor: H. Jackson Brown, Jr. Citação: Keep your friends close and your enemies closer. Autor: Attributed to Sun Tzu,
.links
.subscrever feeds