Quinta-feira, 19 de Julho de 2007
Inocência

 

Anos passam e a turba continua a passar por nós. Cresceste sem quase o perceber e agora a inocência tão própria dessa criança que foste desapareceu no tempo. Sem querer deixaste-te cair em tristes vãos. Já não tremes ao passar do vento, já não te caem as lágrimas na calçada. O teu coração, outrora de veludo, ficou agora enegrecido e de paz vazio. A noite assombra-te, a luz esconde-se atrás negro do céu e ergue-se na bruma um desejo vão da criança que já foste.

 

Não sei porque respiro. Não quero saber. Sobrevivo às custas da ganância e da frieza que todos me atribuem. Às vezes nem eu me reconheço. Perdi a doçura que me inundava os olhos. Deixei fugir a ternura do meu toque e agora apenas sinto frio. O meu ar gélido faz-te recolher e acabo por me encobrir numa capa de traição e de presunção, sem a qual seria apenas mais uma pobre coitada, infeliz nas ruas da amargura.

Escondo o rosto nos livros e a alma num nome que nunca quis ter, nunca pedi ser. Sobrevivo. Arrasto-me esperando o fim dos dias chegar e contrariando tudo o que me convém, regozijo o meu riso quando na verdade choro.

 

By Ana M.

 


sintomo-nos: aborrecida
música: Promiscuous Girl - Nelly furtado

publicado por **** às 16:10
link do post | comentar | favorito

3 comentários:
De Paulo Barbosa a 19 de Julho de 2007 às 23:57
Olá!
Como reparei que uma das autoras deste blog me adicionou como amigo, achei que seria simpático se fizesse o mesmo.

Quanto ao blog, bem... acho-o bastante interessante. O design está moderno e dá uma certa ideia de tranquilidade. No entanto, tenham cuidado com as cores do blog, porque ao escrever este comentário, as palavras apareciam num tom claríssimo sobre um fundo branco. Tentem reparar este pormenor.

De resto, parabéns!

Saudações.


De **** a 20 de Julho de 2007 às 10:45
oi
'Brigado . Pois também estou a reparar nisso das cores XD mas como isto é uma completa aventura para nós ainda temos muito para aprender. Vamos ter em conta a tua crítica e assim que possível vamos tentar colmatar esta falha.

O teu blog também tem bastantes motivos de interesse.

Adeus
Ana M.


De Lucya (Flip Side) a 31 de Janeiro de 2008 às 16:37
"Sobrevivo às custas da ganância e da frieza que todos me atribuem"
Não posso concordar, como já anteriormente te tinha dito, não somos nós que te atribuímos a frieza.
És tu que assim ages e a nós, tuas amigas, nos negas que verdadeiramente sois.


Comentar post

.mais sobre nós
.Julho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.posts recentes

. Is it Still "The Beginnin...

. O tango Inacabado - IV

. O tango Inacabado - III

. O tango Inacabado - II

. O tango Inacabado - I

. in 6 words...

. Antiquitera (XIV) - Epílo...

. Antiquitera (XIII)

. Antiquitera (XII)

. Antiquitera (XI)

. Antiquitera (X)

. Antiquitera (IX)

. Antiquitera (VIII)

. Antiquitera (VII)

. Antiquitera (VI)

. Antiquitera (V)

. Antiquitera (IV)

. Antiquitera (III)

. Antiquitera (II)

. Livro Ilegível

.arquivos

. Julho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

.pesquisar
 
.Faz-nos Pensar...
Citação: "Love all, trust a few." Autor: William Shakespeare Citação: Judge your success by what you had to give up in order to get it. Autor: H. Jackson Brown, Jr. Citação: Keep your friends close and your enemies closer. Autor: Attributed to Sun Tzu,
.links
.subscrever feeds